Poá, município do Alto Tietê é a única cidade a ter uma única biblioteca em braile.

 Vista_de_poá

  Poá é o único município do Alto Tietê (SP) que possui uma biblioteca exclusiva para deficientes visuais. Desde 2010 o município disponibiliza uma biblioteca com publicações 100% em braile. A biblioteca Napes tem um acervo de livros para crianças, jovens e adultos com conteúdo literário e também com livros didáticos de matemática, português e iniciação para informática. Atualmente são mais de 850 títulos. A biblioteca atende deficientes visuais de todo Alto Tietê. Mogi das Cruzes, Suzano e Ferraz de Vasconcelos não possuem uma biblioteca específica para cegos e deficientes visuais, porém dispõem de algumas obras em braille nas bibliotecas municipais já existentes. De acordo com o Censo Demográfico de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), só na região metropolitana há 81.220 pessoas com deficiência visual. Só em Poá, são 185. Luzia Camargos da Silva é de Itaquaquecetuba e frequenta a biblioteca de Poá desde que a unidade foi inaugurada. Ela, o marido, o filho, de 30 anos, e a neta, de 16, são deficientes visuais desde que nasceram. Ela conta que a família toda gosta da leitura e aprova o benefício. “A biblioteca é muito boa, está riquíssima em seu acervo. Somos freqüentadores assíduos e testemunhas de que a biblioteca funciona e faz um trabalho essencial à população”, diz ela que antes precisava ir até São Bernardo do Campo para fazer empréstimos de livros em braille. “Tenho certeza que ela veio para facilitar para todos, sobretudo para mim e minha família. A gente precisava ir para longe e fazer um grande sacrifício para fazer uma leitura”, completa. O acervo conta com obras da literatura infantil, literatura brasileira, auto-ajuda, bíblia, atlas, livros didáticos, além de DVDs – livros digital. A Prefeitura de Poá informou que a ideia da biblioteca em braile surgiu para atender alunos e famílias com deficiência visual já que até então não havia este tipo de serviço para a população. Outra causa é dar andamento a um trabalho de inclusão que é feito por meio da Secretaria de Educação, setor do Núcleo de Apoio Pedagógico Especializado (NAPES).  “É um serviço essencial, que atende todo o Alto Tietê. Temos orgulho em ter uma biblioteca com um acervo em braile, pois a leitura não deve ter barreiras”, disse o secretário de Educação de Poá, Carlos Humberto Martins. Qualquer pessoa pode fazer o empréstimo dos livros na Biblioteca Napes em Poá. Basta se dirigir à Secretaria Municipal de Educação, portando RG e comprovante de endereço para preenchimento de uma ficha de cadastro. A ficha de inscrição permite a todos utilizarem o serviço de empréstimo de livros sem restrições de quantidades. A biblioteca funciona das 9h às 15h, de segunda-feira a sexta-feira. O endereço é Rua Doutor Luiz Pereira Barreto, nº 662, Vila Julia Poá. Além da Biblioteca Napes, existem cerca de 20 exemplares em braile na Biblioteca Municipal, localizada no Centro Cultural Casa da Estação.  O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. O endereço é Travessa Miguel Saad, s/n, Centro. Alto Tietê O site  G1 fez um levantamento nos dez municípios do Alto Tietê. Poá é a única cidade que possui uma biblioteca com um acervo 100% em braille. Algumas bibliotecas da região também possuem acervo adaptado a deficientes visuais e cegos na região do Alto Tietê: Mogi das Cruzes, Suzano e Ferraz de Vasconcelos. Em Mogi das Cruzes, na Biblioteca Municipal Benedicto Sérvulo de Sant´Anna, há 71 livros e cinco audiobooks. Destes, por exemplo, há livros da série Harry Potter e também da série Para Gostar de Ler. Há ainda, um livro infantil, que presa pela parte plástica. Isto é, não só o texto está em braile. Os desenhos também têm o contorno em alto relevo, para a percepção tática do leitor. A Biblioteca Municipal ‘Benedicto Sérvulo de Sant´Anna’ está localizada no Centro Histórico do município. O endereço é Rua Coronel Souza Franco n.º 993, Centro.  O atendimento é de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 18h. Suzano não possui um espaço específico de leitura para portadores de deficiência visual. Porém, a biblioteca do Centro de Educação e Cultura ‘Francico Carlos Moriconi’ dispõe de acervo em braille, com cerca de 150 exemplares, produzido pelo Instituto Dorina Nowill, que visa facilitar a inclusão da pessoa que possui esse tipo de deficiência por meio de produtos e serviços especializados. A Biblioteca Municipal de Suzano fica na Rua Benjamin Constant, 682, no Centro. O atendimento é feito de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 17h. Já a cidade de Ferraz de Vasconcelos tem cerca de 200 livros em braille na Biblioteca Central José Andere e também nas salas de 22 escolas que contam com o programa Atendimento Educacional Especializado (AEE). A biblioteca de Ferraz funciona das 8h às 17h e fica na Rua Sudi Menucci, 203, Centro. Outras cidades da região como Arujá e Itaquaquecetuba informaram ao G1 que não possuem uma biblioteca em braille. Já Guararema, Santa Isabel e Biritiba-Mirim não responderam se têm livros adaptados em braille voltado aos cegos e deficientes visuais.   fonte/texto: G1 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *