SEGUNDO A ONU, NÚMERO DE USUÁRIOS NA INTERNET CHEGARÁ A 3,2 BI ATÉ O FINAL DE 2015

Até o fim do ano, a internet vai atingir a marca de 3,2 bilhões de usuários. As informações são de um estudo do ITU, órgão internacional de telecomunicações ligado à ONU (Organização das Nações Unidas), divulgado nesta terça-feira (26). A cifra representa um pouco menos que a metade da população mundial, prevista para fechar o ano em 7,2 bilhões.

Segundo o estudo, a maioria dos acessos à internet virá de países em desenvolvimento. Dos 3,2 bilhões que navegam na rede, 2 bilhões serão de nações subdesenvolvidas. Continuar lendo

INTERNET EM ALGUNS LUGARES NO BRASIL SE COMPARA A LÍBIA E JAPÃO

Enquanto a maior parte dos moradores de 406 cidades do Brasil acessa a internet com uma velocidade inferior à oferecida na Líbia – um país em conflito –, a maioria dos habitantes de outros 456 municípios navega na web com velocidade similar à de países como Finlândia, Suíça e Japão.

É o que mostra um levantamento feito pelo G1 com base nos dados mais recentes deste ano da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) acesse o mapa.

A velocidade média da internet no Brasil, que completa 20 anos neste mês, gira em torno de 3 Mbps, o que faz o país ocupar a 89ª taxa de download mais rápida do mundo, atrás de Iraque, Kwait e Sri Lanka, segundo o último relatório da Akamai, empresa de alcance global e referência na área. A Coreia do Sul, em primeiro lugar no ranking formado por quase 150 países, tem uma velocidade média de 22,2 Mbps. Continuar lendo

AS NOVAS REGRAS DO GOOGLE PARA OS DISPOSITIVOS MÓVEIS

A utilização crescente de dispositivos móveis na Internet tem levado ao desenvolvimento dos websites responsáveis para dar resposta otimizada à visualização da informação em vários dispositivos (smartphones, tablets e computadores).

Recentemente, foi a vez do motor de pesquisa Google alterar as suas regras de apresentação dos resultados em função da capacidade de um website de ser apresentado aos dispositivos móveis (designado por “mobile-friendly”).

São considerados “mobile-friendly” os websites que contenham as seguintes características após análise dos robots da Google: Continuar lendo