4 dicas para uma boa gestão de estoque e ainda reduzir custos

Seja por desconhecimento, inexperiência ou mesmo por acreditar ser uma área de pouca importância, muitos empreendedores acabam deixando de lado uma boa gestão de estoque, e o reflexo não é nada positivo: problemas de fluxo de caixa e capital de giro que acabam impactando diretamente a saúde financeira dos negócios.

O fato é que estoque significa investimento, já que grande parte do dinheiro que uma empresa possui está empregado em mercadorias, matérias-primas e outros insumos destinados a manter a produtividade e alcançar um bom faturamento. E isso exige atenção redobrada.

Gerenciar bem o estoque e manter os dados atualizados e devidamente monitorados é fundamental para cumprir os prazos de entrega prometidos, evitar falta e excesso de produtos e a manter um bom fluxo de receitas, que possa cobrir os custos e ainda gerar lucros.

Pensando nisso, levantamos 4 dicas para você ter uma boa gestão de estoque e ainda reduzir os custos do seu negócio. Continue a leitura!

1. Comece pela padronização

Estoque desorganizado, sujo, com mercadorias distribuídas aleatoriamente e sem qualquer tipo de detalhamento e categorização é o resultado de uma gestão falha. É preciso criar padrões e regras de armazenamento para que os processos internos possam ser facilitados e precisos.

Imagine o tempo que um funcionário gasta procurando mercadorias que estão armazenadas de qualquer forma e sem qualquer critério de distribuição. Isso significa redução da produtividade, retrabalho e, muitas vezes, perdem-se vendas por certos itens não serem encontrados (embora estejam estocados).

A organização do estoque é a premissa básica de uma boa gestão. Esse processo vai poupar muito tempo na contagem dos itens, e otimizará as tarefas do dia a dia. Por isso, é fundamental manter um inventário atualizado e criteriosamente detalhado, com todos os itens catalogados, seja através de um sistema ou em planilhas ou outros meios. Isso evita prejuízos ou compras desnecessárias.

Uma ótima dica é adoção de tecnologias para auxiliar neste processo.

2. Registre todas as entradas e saídas

Pode parecer uma regra básica, mas muitos empreendedores acabam pulando essa etapa e comprometendo seriamente uma boa gestão de estoque. É fundamental saber exatamente quais os produtos e em que quantidade estão disponíveis no estoque.

Para isso, é indispensável registrar todas as entradas e saídas de mercadorias da empresa. Seja ela feita de maneira manual ou com a ajuda de um software, é importante ter todas as informações. Isso garante que o gestor saiba como está investindo seu dinheiro e quais produtos estão gerando maior lucratividade, bem como aqueles que não estão tendo demanda.

3. Crie códigos para cada produto

Imagine uma empresa que vende peças de roupas infantis e no estoque não utiliza qualquer critério de armazenamento e tampouco de detalhamento para facilitar a procura. Difícil, não é mesmo!?

Por isso, para cada produto crie um código. A utilização de sequências numéricas e letras facilita a busca no sistema e direciona o funcionário a encontrar o que deseja, com maior facilidade e sem perder tempo tendo que procurar em cada prateleira, gavetas ou caixas.

Ao criar o código o empreendedor pode integrá-lo ao sistema de gestão e manter todas as áreas informadas. Assim, ao realizar uma venda, automaticamente o sistema gera a informação para o setor de estoque, que já efetua a baixa do item. E no setor de faturamento, a mercadoria vendida já é atribuída aos lançamentos de receita e a fatura de venda é gerada. Tudo automático e integrado.

Para o gestor, é a possibilidade de controlar tudo em tempo real, sabendo quais produtos estão tendo maior demanda, quais estão gerando maior lucratividade para o negócio e quais estão representando perdas para a empresa. O que oferece a oportunidade de estabelecer estratégias para eliminar os produtos que estão parados em estoque.

4. Detalhe os produtos e separe-os por tipo

Para uma melhor distribuição dos produtos em estoque, especifique uma categoria para cada tipo de produto, por exemplo: alimentos, materiais de limpeza, materiais de papelaria, entre outros.

A partir do detalhamento, tente categorizar e especificar cada produto de forma mais detalhada, incluindo medidas, peso, cor e se é material de venda ou de consumo. Por fim, aponte os preços e os custos de venda.

E então, nosso conteúdo sobre gestão de estoque foi útil? Siga-nos nas redes sociais e fique por dentro de todas as nossas novidades!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *