A importância do controle de acesso nas escolas e universidades

Não há como negar que nas grandes e médias cidades do nosso país há um grande sentimento de insegurança. A segurança pública é responsabilidade do Estado, mas no setor privado é a instituição que deve cuidar de seu patrimônio, clientes e alunos.

Acompanhe em nosso post os motivos para que você tenha um sistema de controle de acesso em sua instituição de ensino e as principais tecnologias.

Por que dar atenção especial ao controle de acesso?

As instituições de ensino precisam dedicar atenção especial no quesito segurança, principalmente por ser um local que recebe um grande número de pessoas, entre alunos, professores, pais e demais funcionários. Além disso, o próprio patrimônio da instituição deve ser protegido.

Demonstrar preocupação com a segurança também aumenta a credibilidade da empresa. Os pais ficam mais dispostos a colocar seus filhos em uma instituição que garante a integridade deles e entregam em tempo real as movimentações de entrada e ou saídas dos seus filhos. Além dos profissionais das instituições se sentirem mais seguros para trabalhar.

Quais as principais tecnologias de controle de acesso?

Os sistemas de controle de acesso contam com vários itens como catracas, câmeras, leitores e softwares. Confira os métodos de controle de acesso mais utilizados:

Biometria

A biometria é uma das tecnologias mais seguras para controle de acesso, pois utiliza a impressão digital como identificador. Um software fica responsável pelo mapeamento e armazenamento das digitais em um banco de dados, junto com as informações cadastrais dos usuários. Quando se aproxima o dedo do leitor, é feito o cruzamento de dados para a identificação. Apesar de ter como fragilidade a demora na recuperação da informação o que por vezes gera filas nas entradas/saídas.

Reconhecimento facial

O reconhecimento facial, assim como a biometria, é uma tecnologia bastante segura. Um software faz o mapeamento do rosto do usuário, marcando alguns pontos específicos, como tamanho do crânio, distância entre olhos e comprimento da mandíbula, e uma câmera codifica as informações em uma sequência digital, que é anexada ao cadastro do usuário.

Toda vez que ele passa por uma das câmeras de acesso, é captada uma imagem de seu rosto e as informações são cruzadas com o banco de dados.

Os softwares são tão precisos que a identificação é feita mesmo se a pessoa mudar o corte de cabelo ou usar óculos, por exemplo.

Mas tantos recursos assim podem gerar lentidão na liberação da entrada/saída em função do processamento e recuperação dos dados na base dados do cliente.

Tecnologia RFID

O sistema de identificação por meio de radiofrequência é uma tecnologia muito utilizada no controle de acesso, com o popular uso em empresas e transporte público. Nas instituições de ensino, por exemplo, ele pode ter apresentação de crachá combinando identificação visual com os dados embarcados no chip, e ter sua utilização estendida para outros locais dentro da instituição, como por exemplo: biblioteca, cantina, reprografia, etc.. O usuário aproxima seu cartão do leitor, que libera o acesso após a identificação. Neste caso pelo fato dos dados estarem embarcados no chip a velocidade de leitura é instantânea não havendo lentidão na entrada/saída.

Contador de fluxo

Muito utilizado em comércios, o contador de fluxo é um sistema que controla a entrada e saída de pessoas por meio de sensores infravermelhos conectados a um computador. Esses sensores podem ser acoplados a antenas ou pedestais na entrada da instituição.

Com ele é possível identificar os horários em que há maior circulação de pessoas. Já nas instituições de ensino, pode ser feita a identificação do aumento da saída de alunos em horário de aula, por exemplo. Mas não serve para garantir a entrada/saída autorizada, pelo fato dele somente realizar a contagem e não possuir inteligência para controle de acesso com permissões ou restrições.

Neste caso pode ser gerado um relatório de entrada/saída sendo possível quantificar os acessos, e inclusive, a partir destes dados, adotar políticas de utilização dos espaços por parte do gestor da instituição.

Se a sua instituição ainda não conta com um sistema de controle de acesso, está na hora de repensar essa estratégia. Não perca a chance de aumentar a credibilidade de sua empresa e proteger seus clientes, funcionários e seu patrimônio.

Se você gostou do nosso post e que saber mais sobre tecnologias de controle de acesso, entre em contato conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *