Coletor de dados: o que é e qual sua importância

Ao longo das últimas décadas, os valores das empresas foram mudando, conforme a sociedade e a evolução tecnológica. Se há algum tempo, o patrimônio era considerado o principal ativo de um negócio, hoje em dia, as informações e o controle dos dados sobre a própria empresa e o mercado em geral passaram a ser o foco principal de muitas organizações. 

Afinal, quem tem controle sobre os dados gerados pelo próprio negócio consegue identificar mais facilmente possíveis gargalos e preencher lacunas que antes demoravam muito mais para serem percebidas. No texto de hoje, vamos falar mais sobre o coletor de dados e como ele pode auxiliar o dia a dia da sua empresa. Boa leitura! Continuar lendo

Tecnologia: conheça 5 empresas que usam RFID

A tecnologia RFID vem sendo estudada e aprimorada para prover soluções para as empresas. Ela trouxe automatização para os processos de estoque, controle de acesso em eventos, identificação de produtos, entre outros. A utilização dessa tecnologia provê redução de perdas (furtos, extravios, defeitos) para as empresas.

Conheça 5 empresas que usam RFID:

1.    Thyssenkrupp

A Thyssenkrupp utiliza RFID para agilizar o processo de embarque de placas de metal. Cada placa possui uma etiqueta RFID. Ao embarcar essa placa no navio, o leitor lê o código RFID dessa placa e envia os dados dela para o sistema do porto. Dessa forma o sistema sabe as informações de peso, material e que a placa está dentro do navio. Essa tecnologia agiliza o processo de embarque, evitando assim que o navio fique parado por muito tempo no porto. Continuar lendo

[e-book] Desvendando a tecnologia RFID em Bibliotecas

A tecnologia RFID em bibliotecas – compreendendo suas funcionalidades na prática

A tecnologia RFID — Identificação por Radiofrequência — já vem causando um grande impacto positivo em bibliotecas em âmbito nacional. As chamadas etiquetas inteligentes possuem pequenos chips, uma antena, um transceptor e um transponder ou etiqueta de RF. O transceptor faz a leitura do sinal e transfere os dados para um dispositivo leitor, enquanto o transponder ou etiqueta contém o circuito de informações a ser transmitido. Já a antena repassa a informação para o leitor, que converte as ondas de rádio do RFID para informações digitais. Depois de convertidas, então, elas podem ser lidas e tratadas por um computador. Continuar lendo