Entenda como a Curva ABC pode transformar seu estoque

Uma boa gestão de estoque é fundamental para que se consiga aumentar a eficiência logística. No entanto, os benefícios das melhorias aplicadas não se restringem a essa área e podem influenciar positivamente rotinas das áreas de Compras, Vendas e Financeiro. É aí que surge a Curva ABC.

As possibilidades de organizar e compor melhor o estoque, de acordo com as informações que essa ferramenta fornece, são muitas. Quer saber do que se trata, sua importância e como ela pode ser aplicada? Então confira agora mesmo!

Afinal, o que é a Curva ABC?

A Curva ABC é uma ferramenta de análise que ajuda na identificação da relevância de cada item e na tomada de decisão das quantidades que precisam estar disponíveis no estoque.

Ela é feita normalmente com base nos resultados financeiros que as vendas proporcionam. As variáveis mais comuns são faturamento, giro (frequência de reposição necessária) e lucratividade. Sendo assim, são feitas as seguintes classificações:

Itens de classe A

Se encaixam nesse grupo aqueles produtos que, com suas vendas, representam uma parcela considerável no faturamento e garantem uma margem de lucro satisfatória. Costumam ser aqueles itens de maior valor, que não possuem tanta saída (giro). Normalmente, eles compõem cerca de 30% do estoque.

Itens de classe B

Esses são os itens mais vendidos pela empresa e, por consequência, possuem um giro bem alto e garantem um faturamento satisfatório. A diferença em relação aos de classe A é que, nesse caso, a margem de lucro obtida com as vendas já não é tão alta.

Como eles possuem muita relevância para o negócio, o ideal é que formem cerca de 50% a 60% do estoque.

Itens de classe C

Por fim, como se pode imaginar, nesse grupo estão aqueles itens que quase não são vendidos, não geram um bom faturamento e possuem um giro baixo. No entanto, para que não se perca vendas em decorrência de faltas, é ideal que se mantenha uma quantidade mínima no estoque, que não chega a 20%.

Vale ressaltar que esses percentuais podem variar de empresa para empresa e de acordo com os critérios que foram adotados pelo gestor.

Por que ela é importante para o controle de estoque?

Uma implementação adequada da Curva ABC garante diversos benefícios para a empresa. Dentre eles:

  • Decisões de compras mais acertadas e formação de estoques mais coerentes com a demanda: como a análise se baseia no giro, passa-se a adquirir mais itens que possuem mais vendas, enquanto os de pouca saída são evitados;
  • Redução de desperdícios: com uma direção melhor de como os níveis de estoque devem ser distribuídos, diminui-se os índices de perdas e desperdícios;
  • Mais eficiência no uso do capital de giro, que é utilizado para pagar as compras que são feitas para o estoque: o dinheiro investido garante um retorno mais satisfatório.

Como ela pode ser aplicada nas empresas?

O primeiro passo é definir quais parâmetros serão usados para avaliar a relevância de cada item. Como exemplificamos anteriormente, os mais utilizados são o giro, o faturamento e a lucratividade, simultaneamente.

Sendo assim, a princípio, é preciso criar uma lista com todos os itens e fazer a relação de acordo o volume de vendas, o percentual médio que ele representa no faturamento mensal, e qual é a margem de lucro que sua venda proporciona.

Com base nesses valores, basta fazer um “ranking” em que os melhores resultados são divididos entre as classes A e B, enquanto os piores números ficam enquadrados no grupo C.

Para que a análise seja ainda mais precisa, vale a pena usar informações como histórico de vendas e previsão de demanda. Assim, todos os setores envolvidos terão os dados necessários para otimizar os processos.

Como se pode ver, essa ferramente é excelente para realizar análises de estoque. Ao mesmo tempo em que fornece uma visão da atual composição, permite que o gestor saiba quais mudanças são necessárias para melhorar o cenário e aprimorar os resultados.

Gostou de saber como a curva ABC pode melhorar sua gestão de estoque? Quer aproveitar e conhecer 5 tecnologias que vão revolucionar o futuro da logística? Então confira agora mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *