Prisioneiros italianos podem ter pena reduzida. Basta ler livros

 

A síndrome da prisão na existência

 

Uma interessante medida foi adotada em presídios da Itália visando reduzir um pouco a pena de alguns presos, enquanto os mesmos ainda garantem a oportunidade de aproveitar um tempo de lazer e conhecimento, por meio da leitura.

A legislação, que ainda não foi aprovada, prevê que a cada livro lido pelo prisioneiro, três dias são reduzidos de sua pena.

Eles têm a oportunidade de reduzir até 48 dias em um ano, entretanto, os livros devem ter ao menos 400 páginas, além de passar por uma análise e aprovação prévia pelos funcionários da prisão. Gibis e Livros de fotografias não contam.

A medida foi proposta pelo chefe de cultura Mario Caligiuri e deve vigorar na região italiana do sul da Calábria, sendo permitida àqueles que cumpram um mínimo de 6 meses de pena.

Segundo Caligiuri, “A leitura é um antídoto excepcional para inquietar, e favorece o rendimento bem como desperta o social e pessoal”

 

fonte:  literatortura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *