Tecnologia RFID aplicada à Logística

A cadeia de logística de uma empresa pode ser um mistério para muitos gestores. Você sabe exatamente quais e quantos produtos existem no estoque da sua empresa? E sabe se esses produtos estão armazenados corretamente? E sabe como e onde encontrar um produto específico rapidamente?

E o inventário de ativos? Os equipamentos e móveis estão alocados exatamente onde deveriam estar? E o seu quantitativo confere com o tombado?

Estas e outras perguntas já vêm a muito atormentando os gestores empresariais.

Muitos materiais são utilizados ao longo dos processos de gestão e, para desespero dos gestores as discrepâncias e disparidades continuam a impregnar e prejudicar os resultados das empresas como um todo.

Inventário

O inventário nada mais é do que a identificação, classificação e contagem dos produtos que estão no estoque. Ele te permite tomar decisões fundamentais a respeito da gestão do estoque, ajudando a identificar claramente quais os produtos que estão em falta, os de baixa rotatividade, os danificados, os vencidos e ainda determinar a importância de cada tipo de produto para o seu estoque.

Centro de distribuição
Centro de distribuição

Um inventário bem realizado e com uma periodicidade regular permite a empresa estar sempre preparada para os imprevistos e tornando-a competitiva, elevando, assim, a qualidade dos seus processos logísticos.

A tecnologia vem para ajudar

Há algumas décadas a introdução dos Sistemas Integrados de Gestão Empresarial (ERP – Enterprise Resource Planning) dinamizou os mecanismos de controle, apoiada pelo uso de leitores de código de barras.

Contudo, passado meio século, continuavam presentes importantes limitações que foram agudizadas com o avanço tecnológico e novas demandas do mercado, oriundas do advento dos conceitos de operação wireless (sem fio ou por sinais de radiofrequência) e mobile (disseminação do uso de dispositivos móveis).

Mas sabendo-se de todas estas vantagens competitivas o que impede a regularidade de se realizar um inventário?

As ferramentas disponíveis hoje para a realização de inventário baseiam-se na leitura da etiqueta de código de barras em cada produto fazendo-se necessária a manipulação de cada item de forma única e direcional. Resumindo: um estoque com um grande número de itens resulta num inventário dispendioso, lento,  impreciso e altamente demandante de recursos humanos, que por sua vez a cada dia tem seus custos e encargos elevados pela evolução da especialização laboral e legislação do trabalho, por isso a tecnologia RFID vem para revolucionar e facilitar o processo.

O RFID para revolucionar a logística

Como a tecnologia RFID revoluciona o inventário?

Cada item ou ativo da empresa terá uma etiqueta de RFID contendo um chip no qual será gravado o ID único do item em conformidade com o software de gestão do cliente. Então será possível, com um leitor portátil realizar, à distância, a leitura do chip sem a necessidade de contato visual com a etiqueta pois as informações serão enviadas por radiofrequência para o computador, atualizando instantaneamente a base de dados do software de gestão. No caso do RTLS (rastreamento em tempo real) o inventário é realizado em tempo real, por intermédio de uma rede de leitores fixos cobrindo o espaço onde os itens ou ativos estão contidos, que igualmente atualizam a base de dados do cliente instantaneamente.

Especificamente no segmento logístico podem ser arroladas algumas aplicações de gestão Logística:

  • Inventário em tempo real;
  • Localização precisa;
  • Controle de processos;
  • Integração com anel de fornecedores;
  • Logística reversa;

Como vantagens da tecnologia RFID podemos destacar, entre outras:

  • A leitura sem necessidade da proximidade ou contato com o leitor;
  • A diversidade das etiquetas para uma enorme gama de materiais e necessidades específicas;
  • A possibilidade de reutilização das etiquetas ;
  • A redução do estoque por um controle preciso do seu giro;
  • A contagem instantânea de estoque, facilitando os sistemas empresariais de inventário com o uso do RTLS;
  • A precisão de localização de armazenamento com critérios espaciais;
  • A velocidade na expedição por conta da precisão da localização;
  • A melhoria no reabastecimento com eliminação de itens faltantes;
  • A prevenção de furtos e falsificação de mercadorias;

O RFID surge então como um grande vedete, pois graças aos avanços tecnológicos obtidos, tanto pela miniaturização dos chips quanto pelo avanço da nanotecnologia,  consegue-se não somente sanar as limitações do código de barras como também superar as expectativas de aplicação, graças ao seu vasto e enorme potencial. E tudo isto com elevado ROI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *