Conheça diferentes formas de aplicar o sistema RFID na sua empresa!

De fato, a logística vem sendo vista pelas empresas como um diferencial competitivo. Com um mercado exigente, é cada vez mais comum ver empreendedores renovarem suas estratégias gerenciais e competitivas visando melhorar o controle, a movimentação e o armazenamento de mercadorias — além, é claro, de gerar informações úteis para as tomadas de decisão.

Nesse sentido, a tecnologia RFID Identificação por Radiofrequência (Radio-Frequency Identification) tem sido amplamente utilizada nas atividades logísticas para identificação e monitoramento.

A cada dia, ela se torna mais indispensável para organizações que precisam de indicadores precisos e seguros, ou mesmo para garantir ao cliente o acesso às informações sobre o tráfego da mercadoria. Por isso, a seguir vamos mostrar algumas formas de aplicar o sistema RFID no seu negócio. Veja:

1. Monitorar objetos na logística e no transporte

A grande vantagem da aplicação do RFID é a possibilidade de rastrear os objetos transportados, bem como detectar e impedir furtos. Ou seja, as corporações têm implementado o sistema para monitorar cargas e acompanhar, em tempo real, a localização das mercadorias, a fim de coibir a prática de pessoas mal-intencionadas e oportunistas.

A partir do alcance do RFID, é possível identificar todos itens que estão sendo transportados. Isso porque o sistema funciona por meio de um receptor (antena), que faz a leitura do sinal das etiquetas e transfere a informação encontrada a um dispositivo leitor.

Assim, ao receber essas informações ao longo da cadeia de transporte, desde a saída à sua chegada no destino final, há como certificar se o material controlado corresponde exatamente ao original enviado.

E o mesmo vale para realizar um controle efetivo de estoque, que pode ganhar uma organização mais elaborada e analítica com esse tipo de recurso. Isso implica a união entre segurança e eficiência tão desejável para qualquer empreendimento, independentemente do setor de atuação.

2. Autenticar um produto ao aplicar o sistema RFID

Por meio de certificações gravadas no chip da etiqueta RFID, a aplicação permite identificar com precisão as mercadorias trafegadas. Um chip é implantado na carga, e nele ficam contidas todas as informações como características do produto, peso, quantidade, entre outras.

Com a utilização de uma certificação via chip, todo o processo de conferência de mercadorias é facilitado, principalmente nos portais de fiscalização. Além disso, com uma simples leitura de sinal, todas as informações já ficam disponíveis para as administrações fiscais e tributárias.

Um exemplo simplificado de como isso funciona é o bilhete único. Afinal, dados pessoais como RG e CPF estão inseridos no cartão para que os leitores do transporte público os reconheçam e possam processar, debitando o dinheiro e descontando o valor da passagem referente àquele bilhete.

3. Transmitir informações visando à automação industrial

Outra grande vantagem da aplicação de RFID é a eficiência no processo produtivo. Por conta da automação industrial, a utilização de dados industriais tem vivenciado um verdadeiro avanço. E isso ocorre graças ao uso de certas inovações, como:

  • sistemas mais apurados de controle;
  • sensores inteligentes;
  • softwares em nuvem;
  • transmissão de informações.

Todos esses recursos realizam a transição de operações convencionais, maçantes e manuais para processos de alta inteligência. Nesse sentido, inclusive, investir no sistema RFID minimiza os erros, já que otimiza diversos processos. Sem falar no aumento da produtividade e no ROI positivo. Todos componentes da implementação da indústria 4.0.

4. Controlar temperatura e umidade em ambientes e/ou na produção

Com a necessidade de manter processos cada vez mais controlados e monitorados, as instituições têm buscado soluções que possam lhes ajudar a manter as características ideais para o bom desempenho das tarefas e atividades.

Com a aplicação da tecnologia RFID à logística, é possível controlar com precisão condições de temperatura e umidade. Sendo assim, é muito mais prático manter as condições ideais de produção, armazenamento e transporte do produto.

Imagine a diferença que isso faz para medicamentos e alimentos perecíveis, por exemplo. Como são mais frágeis, eles demandam um controle bastante específico de elementos relacionados ao calor e à umidade.

Se isso não for seguido à risca, há uma séria probabilidade de ocorrerem prejuízos graves e irreversíveis. Contudo, se, antes, essas condições eram controladas manualmente, hoje a automação vem facilitando e possibilitando um melhor monitoramento e acompanhamento das operações internas da corporação.

Outra possibilidade é a monitoração de temperatura de máquinas e ambientes, no caso dos equipamentos este acompanhamento permite evitar danos por superaquecimento e no ambiente prevenção e monitoração para evitar sinistros.

5. Aumentar a produtividade

Com a automação industrial, é possível aumentar a produtividade e viabilizar processos produtivos descentralizados, agregando muito além do convencional. Dessa forma, passa-se a investir em processos personalizados que elevam a qualidade, eficiência e agilidade nas etapas de produção.

Além dessas vantagens, também podem ser percebidas várias outras, como:

  • maior eficiência dos níveis de produção;
  • segurança para os funcionários;
  • redução de custos.

Pouco a pouco, surge a opção de direcionar os esforços que, antes, eram dispensados em determinadas ações repetitivas de baixo valor agregado para atividades mais complexas e elaboradas, que requerem a participação humana indispensavelmente. Os colaboradores podem, então, voltar sua atenção para o que realmente exige essa interação, obtendo um desempenho mais satisfatório.

6. Detectar e impedir furtos

Embora essa funcionalidade já tenha sido comentada em relação à proteção de cargas, ela também se aplica ao rastreamento local.

Com etiquetas inteligentes, que são facilmente coladas em superfícies distintas, é possível detectar se há uma tentativa de furto daquele objeto. Tal função pode ser vista em mercados ou livrarias, que colam uma etiqueta em produtos menores, para evitar que sejam roubados.

Geralmente, os leitores nas saídas das lojas disparam alarmes sonoros e visuais quando alguém tentar prosseguir com algum produto identificado. Outro exemplo é a biblioteca do MAR (Museu de Arte do Rio de Janeiro), que instalou etiquetas de dupla face nas páginas de seus volumes, que não somente emitem alarmes como identifica o material qual esteja sendo subtraido.

Nelas, um chip guarda informações relacionadas à obra, facilitando a realização de empréstimos e a detecção de alguém que está tentando sair do recinto sem passar por um cadastro prévio. E isso ainda vale para acervos de educação e cultura, em geral.

7. Aumentar a segurança em eventos

Controlar a segurança de um grande evento parece ser algo complicado, não é mesmo? No entanto, por meio do RFID, essa impressão tende a mudar consideravelmente, sendo que ele ainda contribui com outros aspectos.

Seja por tags, pulseiras ou cartões, o chip possibilita exercer um melhor controle sobre o fluxo de entrada. Isso faz com que presenças estranhas sejam notadas com maior facilidade, evitando problemas relacionados à violência ou ao desrespeito com as normas do evento em questão.

Alguns demonstrativos dessa aplicação foram as entradas VIP no Carnaval do Rio de Janeiro 2017 e no Rock In Rio.

Ali, as pessoas não precisaram lidar com filas e tiveram uma melhor experiência para comprar alimentos e serviços no local, já que podiam fazê-lo por meio de suas credenciais. E o pagamento era debitado da conta-corrente, gerando ainda mais comodidade.

Os dados ainda podem ser utilizados para levantar informações relevantes do ponto de vista do marketing. Assim, tempo de permanência, interesses e preferências podem ser metrificados com o intuito de desenvolver estratégias mais detalhadas.

8. Ajudar no processo de montagem

Embora essa capacidade seja mais notável no setor automobilístico, ela também pode ser replicada para as mais diversas atividades industriais por meio da demarcação de peças, análise de reposição, controle de qualidade e assim por diante.

Em pátios e áreas abertas de grandes dimensões é possível realizar inventário e buscas com auxílio de Cyborgs e drones.

Enfim, diante de todas essas vantagens, muitas empresas, de setores diferentes, resolveram aplicar o sistema RFID. E, por conta dele, ganharam em produtividade, tendo seus custos operacionais reduzidos e otimizando muitos processos de uma só vez!

Agora, se você gostou deste texto e deseja encontrar outros conteúdos interessantes sobre o tema, aproveite para seguir nossos perfis nas redes sociais: estamos no Twitter e no Facebook!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *